Como Verificar a Procedência Do Carro Através Da Placa?

Grande parte de consumidores que desejam comprar veículos usados pensa na possibilidade de saber qual a procedência. Por exemplo, quase nunca vendedores afirmam que o automóvel foi reformado depois de ter ficado por tempo longo na inundação que coloca as peças da estrutura com menor poder de durabilidade. Também existem compradores de unidades roubadas que acabam por ter que responder na justiça por conta do ato, independente se quem comprou estava ciente ou não do roubo. Detalhes são importantes antes de adquirir e ao mesmo tempo colocar o nome no documento.

Dificuldade No Caminho

De acordo com especialistas essa dúvida tem alto grau de dificuldade, em principal por causa dos problemas da lei que não é clara o suficiente. Policiais possuem a vantagem de fazer contato com centrais e saber a lista da procedência no que tange aos problemas da justiça. Quem trabalha em seguradoras de automóveis pode consultar a lista de batidas ou número de vezes que o modelo foi roubado na central de informações que as companhias compartilham entre si.

Caso o motorista não conheça nenhuma policial ou agente de seguros de confiança fica quase impossível saber a procedência sem o trabalho do despachante que também atua como investigador de passados na pista. Consumidores também podem colocar o Código RENAVAM nos sites do DETRAN ou DER (no caso de infrações de trânsito em outras cidades ou zonas estaduais diferentes do local de emplacamento do veículo).

Nesse sentido se pode dizer que representa tarefa quase impossível ter cem por cento de segurança sobre o passado do veículo antes de fazer a compra do usado. Quem investe tempo e possui os contatos certos pode conseguir obter esse tipo de êxito que sem dúvidas representa vantagem a se considerar no processo de consumo.

De Olho Na Placa

Prática comum que consumidores populares fazem para verificar o mínimo de procedência do veículo está na análise das placas. Por exemplo, existem especialistas que apontam as letras “G, M ou A” como evidências seguras de que em grande parte dos casos o veículo usado se trata de unidade que pertenceu às locadoras de veículos, unidades conhecidas por terem pouca manutenção e excesso de trabalho com grandes cargas.

Também existem conjuntos do alfabeto que identificam os modelos usados à venda como antigos veículos de aluguel, ou seja, de carros que antes de entrarem no processo de comércio foram de taxistas e que também possuem a tendência de terem sido castigados no tráfego do passado, em principal por causa de excesso de peso por causa dos passageiros, bagagem ou carga em excesso.

Visita Ao DETRAN / DER

Método prático para verificar se a compra do futuro carro representa o consumo de algo roubado está em acessar as informações no DETRAN que cobra a região municipal. As filas podem ser longas e motoristas não terem tempo, por esse motivo contratar o serviço de despachantes pode ser de grande ajuda, em principal quando não o serviço não é caro.

Placa e Estado Do Carro

Existem pessoas que não acreditam encontrar o plano correto da procedência do veículo apenas por causa dos valores e letras que estão escritas de forma oficial na placa do carro. De qualquer maneira, inclusive o município de emplacamento pode enganar. Por exemplo, existem milhões de carros que trafegam em grande parte da vida útil na cidade do Rio de Janeiro e possuem placas de municípios próximos que estão nos limites estaduais e possuem menores políticas nas taxas de cobrança. O emplacamento em Santos não significa que o veículo traz os vestígios da praia no motor uma vez que o automotivo trafegue na verdade em zona central de São Paulo.

Com o Olhar No Manual Do Proprietário

Também existe a possibilidade de que o manual do proprietário trazer informações importantes que aponta se o veículo teve vida particular ou de aluguel. No caso das últimas opções são índices de que os carros foram de táxis ou mesmo locadoras, ambas as modalidades profissionais comprar veículos com menores valores e que ao mesmo tempo não possuem a mesma qualidade que os carros que destinam aos consumidores tradicionais. Unidades que não possuem o manual devem ser suspeitas de terem tido passado que compromete o futuro nas pistas e podem trazer gastos adicionais antes do novo comprador esperar.

Cuidados Com Os Despachantes

Quem não tem tempo pode achar no serviço dos despachantes a solução ideal para verificar a procedência do veículo a ser comprado. Porém, não pense que isso representa algo que os motoristas não possuem a possibilidade de fazer sem ter custos. Além de fazer o contato pessoal, também existe a chance de fazer o contanto com a seguradora ou trabalhadores policiais.

Código Renavan: Comprar Carros Usados

Não pense que apenas o ato de verificar a precedência da placa representa em ponto que assegura a qualidade do passado veicular. Também existe a necessidade de fazer a consulta do código RENAVAM. Esses números são encontrados de forma fácil e servem para fazer acesso no site oficial do DETRAN / DER ou nos outros sites que fazem o acesso direto à central dos Departamentos.

Para encontrar esse código os compradores precisam acessar a informação que se encontra na parte de cima da frente do documento do carro ou atrás, na posição inferior. Caso o vendedor não queira disponibilizar o código existem evidências de que alguma coisa está errada. Nesse sentido não precisa fazer a consulta para proceder às negociações com vendedores que transmitam maior confiança.

Depois de colocar o acesso dos números nos site os internautas acessam uma ficha virtual que traz informações se existem infrações de trânsito a serem pagas ou taxas de IPVA em atraso. Tenha em mente de que a partir do momento em que fazer a assinatura todos os déficits dos veículos ficam no nome do novo comprador. O mercado está repleto de golpes do gênero. Porém, no caso das multas que estão em julgamento os registros podem ficar em suspensão e as informações deixarem de aparecer na tela do computador.


Comprar um carro é sempre uma decisão muito séria e que deve ser pensada com muito carinho para que seja assertiva. Embora quase todo mundo tenha o desejo de comprar um carro 0 km isso nem sempre é possível. Na hora de comprar um carro usado é essencial tomar alguns cuidados em especial a respeito da procedência do veículo.

A seguir vamos te explicar melhor como verificar a procedência de um carro através da sua placa além de dar outras dicas para facilitar uma boa escolha de carro usado. Não invista o seu dinheiro na compra de um carro sem conferir as nossas dicas primeiro. Temos certeza de que você vai fazer escolhas melhores.

Como Funciona o Emplacamento dos Carros?

É quase de conhecimento geral que as letras iniciais que formam uma placa indicam em que estado foi realizado o emplacamento ou licenciamento do mesmo. Contudo, somente verificar as letras não é o bastante para saber em que lugar o carro foi emplacado. O que acontece é que mais de um estado pode usar uma mesma letra inicial para as suas placas.

Por exemplo, a letra “J” é usada como primeira letra de estados como Pará (PA), Mato Grosso (MT), Rio Grande do Sul (RS), Bahia (BA), Amazonas (AM) e Brasília (DF). Para ajudar na identificação da procedência do carro são usadas sequências de combinação alfanuméricas.

Cada estado possui uma sequência de início e uma sequência de final com uma mesma letra ou usando letras que são exclusivas de um único estado. Essa exclusividade depende do tamanho da população daquele estado. Parece complicado, mas na verdade não é tão difícil determinar a origem de uma placa.

Transferência de Estado

Nos casos em que o carro é transferido de um estado para outro – algo que acontece bastante – essa combinação da placa permanece a mesma usando as mesmas letras e os mesmos números. A mudança é feita na tarja destacável em que está o nome da cidade e a sigla do estado (UF).

Dificuldades

Obviamente que o simples fato de o carro ter sido registrado num outro estado não indica que não é um carro de qualidade, contudo, devemos atentar para a questão de que nessas situações podem aparecer algumas dificuldades. Não é uma regra que o fato de o carro ser emplacado em outro estado vai acarretar em dificuldades, mas isso se torna mais provável.

Além disso, ao comprar um carro que foi emplacado em outro estado é preciso saber que pode existir alguma dificuldade na hora de fazer a venda do mesmo. Em alguns casos essa situação contribui para uma queda significativa no valor de venda do veículo. O comprador poderá usar isso como um ponto negativo exigindo um desconto. Pode ser necessário negociar o valor ou mesmo deixar de efetuar a venda.

Confira mais detalhes sobre as placas e procedência de um carro através do site http://www.denatran.gov.br/faq.htm.

Outras Dicas Para Comprar um Carro Usado

Teste o Carro Antes de Comprar

Essa dica é bastante simples, mas muitas pessoas deixam de fazer o test drive antes de fechar a compra. Quando falamos em testar é fazer um teste mais profundo, ou seja, rodar tempo o bastante para verificar danos significativos no carro. Se não for possível fazer esse teste com o carro que irá ser comprado você pode alugar um carro igual numa locadora para conhecer todos os pormenores do modelo.

Carros que Ninguém Quer

Existem os modelos de carros que ninguém quer, dentre outros motivos pode ser pelo fato de que eles são mais difíceis de serem revendidos ou porque consomem muito combustível. Carros desse grupo devem ser comprados somente mediante um grande desconto. As cores mais populares entre os brasileiros são prata e preto. Uma boa dica é dar uma pesquisada em sites e revistas especializados em carros usados para saber quais as melhores opções.

Cuidado com Carro Roubado

A compra de um carro usado exige uma série de cuidados no que diz respeito a mecânica e estado de conservação do veículo, contudo também é importante prestar atenção a situação do carro. Quem for fazer a compra de uma concessionária pode ficar mais tranquilo a esse respeito uma vez que a empresa mesmo faz essa verificação garantindo uma boa procedência dos veículos.

Já no caso de quem vai comprar de pessoa física é bem importante realizar uma vistoria. Observe os números do chassi, da placa e dos vidros, verifique se eles são os mesmos que aparecem no documento do veículo. Outra coisa que você pode e deve fazer é verificar a placa do veículo no site do Detran para saber se ela é verdadeira e se existe algum tipo de pendência como multas que precisam ser pagas.

Documento

Além dos passos que indicamos acima o comprador de um carro usado deve verificar se o documento do carro não está adulterado. A dica é que os documentos verdadeiros contam com um alto-relevo nas suas bordas. A vistoria deve ser realizada com o documento original e não com cópias.

Esses cuidados são importantes pelo fato de que se uma pessoa adquire um carro que foi furtado e é parado numa blitz da polícia perde todo o dinheiro que investiu. Se você achou difícil fazer essas verificações pode contratar uma empresa que faz esse tipo de análise. Algumas empresas cobram menos de R$ 100,00 para fazer esse serviço.

Colisão Grave

Verifique se o carro que você está pensando em comprar não passou por uma colisão grave. Carros nessas situações ficam bastante desvalorizados além de poder deixar alguns problemas ocultos que quando se manifestarem vão trazer grande dor de cabeça. Uma maneira de verificar se o carro passou por uma colisão desse tipo é olhar a sua pintura quando o carro se encontra seco e bem limpo.

A verificação deve ser feita durante o dia num local com boa iluminação para que seja fácil encontrar diferenças pequenas na pintura do veículo, pois são elas que denunciam a ocorrência de uma batida. Observe ainda se existe simetria entre as portas, o teto e os parachoques. Podem existir ainda amassados pequenos na lataria bem como ondulações que são sinais de que houve uma batida. Dê pequenas batidinhas com os dedos pela lataria procurando por diferenças de som.


Categoria(s) do artigo:
Dicas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *