Controle De Emissões Veiculares: Características Gerais

Controle de emissões veiculares representa estudo e prática de reduzir as emissões de veículos a motor, especialmente de combustão interna. As emissões de muitos poluentes do ar são demonstradas em vários efeitos negativos sobre a saúde pública e o meio ambiente natural. Emissões que sejam poluentes principais de preocupação incluem:

Controle De Emissões Veiculares: Características Gerais

Controle De Emissões Veiculares: Características Gerais

Hidrocarbonetos

Classe de combustível queimado, hidrocarbonetos são tóxicos. Simbolizam as principais contribuições à poluição, que pode ser um grande problema nas áreas urbanas. A exposição prolongada a hidrocarbonetos contribui para a asma, doença do fígado, doença de pulmão e cancro.  Regulamentos que regem hidrocarbonetos variam de acordo com o tipo de motor e jurisdição.

 

Hidrocarbonetos

Hidrocarbonetos

Em alguns casos, hidrocarbonetos e metanos são regulados. A tecnologia para a aplicação pode não ser adequada em satisfazer o padrão total de hidrocarbonetos. O metano não é diretamente tóxico, mas é mais difícil de quebrar em conversor catalítico, por isso, os efeitos necessitam da regulação por parte das autoridades públicas. Como o metano é um gás de efeito estufa, o interesse está crescendo em forma de eliminar as suas emissões.

Monóxido De Carbono (CO) e Óxidos (NO x / SO x)

O monóxido de carbono (CO) é produto da combustão incompleta, ele reduz a capacidade do sangue em transportar oxigênio. Superexposição (monóxido de carbono) pode ser fatal. Envenenamento por monóxido de carbono pode causar a morte.

Os óxidos de nitrogênio (NO x) são gerados quando o nitrogênio no ar reage com o oxigênio na alta temperatura e pressão dentro do motor. NO x é precursor da chuva ácida. NO x representa mistura de NO, N2O, e NO2 (extremamente reativo). Destroem a resistência à infecção respiratória. A produção de óxidos de nitrogênio é aumentada quando o motor roda a parte mais eficiente (isto é, mais quente) do ciclo.

Óxidos de enxofre (SO x) são emitidos por veículos a motor na queima de combustível que contém a substância. A redução do teor de enxofre do composto reduz o nível de óxido emitido a partir do tubo de escape. Refinarias possuem requisitos para fazer isso por causa dos custos diminuídos, ignorando o aumento dos gastos para a sociedade como um todo.

Compostos orgânicos voláteis (VOCs) possuem ponto de ebulição inferior ou igual a 250°C. Por exemplo, clorofluorcarbonetos (CFC) e formaldeído. Eles são subsecções de hidrocarbonetos mencionados de forma separada por causa dos perigos à saúde pública.

Um Pouco De História

Ao longo dos anos 1950 e 1960 os governos federais, estaduais e locais nos Estados Unidos realizaram estudos sobre as diversas fontes de poluição do ar, em última análise atribuída à parcela significativa da poluição do ar ao automóvel. Foi concluído que a poluição do ar não é delimitada por fronteiras políticas locais. Naquela época, normas de emissões mínimas de controle foram promulgadas em nível municipal ou, ocasionalmente, estadual.

Os regulamentos locais foram ineficazes, gradualmente suplantados por regulamentos mais abrangentes. Em 1967 o Estado de Califórnia criou a CALIFORNIA AIR RESOURCES BOARD. No ano de 1970 o governo federal criou a Agência de Proteção Ambiental (EPA). Ambas as instituições, bem como outras organizações estatais, cumprem normas de emissões para os automóveis nos Estados Unidos. Agências similares e regulamentos foram contemporaneamente desenvolvidos e implantados em regiões como: Canadá, Europa Ocidental, Austrália e Japão.

O primeiro esforço no controle de poluição dos automóveis foi o sistema de PCV. Isto extrai os fumos de cárter pesados em hidrocarbonetos não queimados. Ventilação do cárter positivo foi instalada pela primeira vez em uma ampla base por lei em todos os novos modelos no ano de 1961, na Califórnia. No ano seguinte, Nova York entrou para a lista.

Em 1964, a maioria dos carros novos vendidos nos EUA foi equipada e o PCV rapidamente se tornou equipamento de série em todos os veículos em todo o mundo. Os primeiros legislados de exaustão (escapamento) foram às normas de emissão promulgadas pelo Estado da Califórnia, no ano 1966. As normas foram progressivamente apertadas ano a ano, conforme estipuladas pela EPA.

Diminuição Da Potência Dos Motores: 1974

Desde os modelos 1974 as normas de emissão tinham apertado de tal forma que as técnicas de afinação usadas reduziram a eficiência dos motores e consumo de combustível em níveis consideráveis. Os novos padrões forçaram a invenção do conversor catalítico para pós-tratamento dos gases de escape.

Isto não era possível com o existente chumbo da gasolina, porque o resíduo de chumbo contaminava o catalisador de platina. Em 1972, a General Motors propôs ao American Petroleum Institute a eliminação de combustíveis com chumbo para 1975. A produção e distribuição de combustível sem chumbo foi um grande desafio concluído com êxito a tempo de ser instalado nas produções daquele ano em diante.

Todos os carros modernos da atualidade são equipados com conversores catalíticos. Combustível com chumbo é quase impossível de ser comprado na maioria dos países do Primeiro Mundo.

Europa: Controle De Emissões Veiculares

A União Europeia tem controle sobre a regulamentação das emissões em países membros da EU. No entanto, muitos Estados-Membros possuem órgãos de governo próprios para aplicar e implantar regras nos respectivos países. Em suma, a UE constitui a política e as nações do bloco econômico decidem a melhor forma de implantar em nível nacional.

No Reino Unido, as questões relativas à política ambiental possuem “poderes atribuídos” que significa quê cada um dos países com ofertas são constituídos de maneira separada através dos órgãos de governo próprios criados para lidar com as questões ambientais nos respectivos países:

  • Agência de Meio Ambiente – Inglaterra e País de Gales
  • Agência de Proteção do Ambiente Escocês (SEPA) – Escócia
  • Secretaria do Meio Ambiente – Irlanda do Norte

Controle De Emissões: Injeção De Ar

A eficiência do motor foi melhorada junto com o design, tempo de ignição, injeção eletrônica, medição de combustível mais preciso e gerenciamento informatizado do motor. Avanços na tecnologia do motor reduzem a toxicidade de escape.

Um dos primeiros escapes desenvolvidos para os sistemas de controle de emissões foram os de injeção de ar secundária – usada agora para apoiar o conversor catalítico da reação de oxidação e assim reduzir as emissões, quando o motor é iniciado a partir de frio.

Artigo escrito por Renato Duarte Plantier

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Curiosidades

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *